Radio

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Segunda edição da Maloca Dragão traz estreias de espetáculos, lançamentos de discos e singles, feira de livro, festas no entorno e outras novidades

Comemorando os 16 anos do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, a Maloca Dragão 2015 traz, de 30 de abril a 3 de maio, mais de cem atrações artísticas gratuitas de diversas linguagens artísticas

De 30 de abril a 3 de maio, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura celebra 16 anos de história com a segunda edição da Maloca Dragão – O encontro de todas das tribos, evento que, no ano passado, reuniu mais de 130 mil pessoas. Nesta edição, a arte cearense vai pulsar num só ritmo, unindo o que há de mais atual em sua produção a obras-primas consagradas pelo afeto e pela memória do povo do Ceará.

Além das mais de cem atrações artísticas gratuitas convidadas, a Maloca traz ainda novidades, como uma feira literária, a Feira Índice, novos espaços para apresentações, praça de alimentação com food trucks, uma vasta programação infantil, festas nas casas de show do entorno do Dragão, a 2ª Semana de Cinema Brasileiro e a presença de produtores nacionais para conhecer este grande painel da arte cearense que a Maloca apresenta. Outra novidade é que, neste ano, não será preciso retirar ingresso para nenhuma das atrações, mas a entrada ficará sujeita à lotação dos espaços.

Entre os lançamentos que movimentarão a cena musical, estão o quarto disco do Cidadão Instigado, “Fortaleza”; e o novo disco do Lirinha, ex-Cordel do Fogo Encantado, com participação da cantora Céu. As bandas Jack the Joker e Astronauta Marinho também lançam os novos álbuns “In the rabbit hole” e “Menino Sereia”, respectivamente, na Maloca. Fazem pré-lançamento de novos discos as bandas Selvagens à Procura de Lei, Coldness e Verónica Decide Morrer, cujos novos trabalhos devem ser apresentados ainda este ano. Um dos grupos mais representativos do metal cearense, a Obskure lança DVD de 25 anos de carreira. Já tradicional nos festivais de rock do Estado, a Rocca Vegas faz lançamento de single, assim como os cantores cearenses Soledad e Oscar.

No teatro, o Coletivo Artístico As Travestidas estreia novo espetáculo, “Quem tem medo de travesti”; e o No Barraco da Constância Tem chega com “Nada como quando começou”. “O público vai poder se apropriar dos mais novos lançamentos artísticos da cidade, além de relembrar obras-primas da canção cearense, com o Projeto Releituras – Clássicos Cearenses”, afirma Paulo Linhares, presidente do Instituto Dragão do Mar. 

O Projeto Releituras – Clássicos Cearenses traz novas interpretações de quatro dos discos mais emblemáticos da música do Ceará. Cada noite de Maloca, no Anfiteatro do Dragão, apresenta um show-homenagem a um dos álbuns. São eles: “Manera Frufru, Manera”, de Fagner, com interpretação de Marcos Lessa; “Chão Sagrado”, de Rodger Rogério e Teti, com interpretação de Paulo Belim e Ilya Borges; “Flor da Paisagem”, de Amelinha, com Natasha Faria; e “Alucinação”, de Belchior, com Gero Camilo.

Outra novidade que a Maloca Dragão 2015 traz este ano é a Mostra “Para quê Videodança?”, que busca dar um panorama da produção cearense de videodança e, por meio de parceria com o Festival Dança em Foco, da produção nacional e internacional feita nos últimos anos.

Também marcam presença na Maloca Dragão os mais recentes projetos que passaram pelo Laboratório de Criação em Música e Pesquisa Teatral, da Escola Porto Iracema das Artes, braço de formação do Dragão do Mar. Felipe de Paula, Caio Castelo, Marta Aurélia e os já citados Astronauta Marinho e Soledad fazem os shows que são resultado final de cincos meses de tutoria com grande nomes da produção musical brasileira. Já os grupos Bagaceira de Teatro, No Barraco da Constância Tem, Teatro de Caretas, Ninho de Teatro e Bricoleiros apresentam espetáculos tanto que foram projetos do Porto quanto trabalhos novos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário