Radio

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Estiagem no ceará II Edição especial repercute no Estado

Secretário Nelson Martins tem audiência hoje com o governador Cid Gomes para avaliar a situação da seca no CE.
Fortaleza O Ceará enfrenta uma das piores secas dos últimos 50 anos. Dos 184 municípios cearenses, 174 decretaram situação de emergência. Falta água para atividades básicas do cotidiano, como tomar banho, cozinhar alimentos, lavar a louça, as roupas e até para matar a sede. Para agravar a situação, a falta de chuva gerou perda de safra generalizada em alguns municípios.

Em distrito do município de Independência, população faz fila à espera do carro-pipa. A água é transportada no chamado "mané mago" Fotos: Waleska Santiago
De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Agrário do Ceará (SDA), o agricultor cearense perdeu neste ano, em média 83% da safra. Em Solonópole e São João do Jaguaribe o prejuízo foi total.

Para mostrar ao leitor o desafio que é viver no sertão com as adversidades de um período de estiagem o Diário do Nordeste percorreu nove municípios do semiárido cearense. O mesmo percurso havia sido feito em abril deste ano, quando a situação já era desesperadora. Publicada ontem Edição Especial do Caderno Regional, "Estiagem no Ceará II", gerou repercussão em todo o Estado. Gestores e a sociedade civil organizada se mostraram sensibilizados com a situação do sertanejo, que sofre com a falta de água.

Fac-símile com a Edição Especial do Caderno Regional, que trouxe reportagens com a situação da estiagem em diferentes regiões do Estado

Nelson Martins, titular da Secretaria de Desenvolvimento Agrário do Ceará (SDA), disse que o caderno presta grande contribuição, pois, uma vez que a situação é mostrada, faz com que haja maior sensibilização do poder público no sentido de atender às demandas. "Nós, gestores, achamos bom quando a imprensa divulga a realidade. É uma forma de a gente agilizar as alternativas e soluções para o problema. O caderno publicado ontem, pelo Diário do Nordeste, dá uma visão bem geral da situação que o Estado enfrenta", elogiou o secretário.

O gestor comenta que a questão da seca vem se agravando muito no Ceará. Ele cita que já tem sede de município e de distrito de grande porte que está com dificuldade no abastecimento de água no Interior. Para debater a problemática foi criado o Comitê da Seca, que se reúne todas as segundas-feiras. Canindé, Russas e Vale do Jaguaribe são municípios que já sediaram o encontro.

No próximo dia 12, o Comitê estará em Crateús, município com menor índice de reserva hídrica do Estado. Martins informa que hoje, às 14h, está marcada uma audiência com o governador Cid Gomes, no Palácio da Abolição, quando será repassado o quadro da situação de todos os municípios cearenses. "Pedimos aos prefeitos e entidades que encaminhem para o Comitê as demandas de seus municípios, para que possamos buscar atendê-las", apela.

Para o titular da SDA, as duas maiores preocupações do governo são: ampliar o atendimento com carro-pipa e disseminar o plantio de palma forrageira como reserva para o rebanho. "Chegamos à conclusão de que a melhor alternativa é ter reserva alimentar para o rebanho", frisou. Ele acrescenta que um hectare de palma forrageira dá para alimentar 120 ovinos ou caprinos por até seis meses. Para implantar um hectare de palma forrageira, o investimento é de cerca de R$ 3 mil.

O meteorologista Paulo José dos Santos, da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) diz que o órgão está sensibilizado com a situação do sertanejo, mas explica que a Funceme só poderá divulgar a previsão sobre a quadra chuvosa de 2013, na segunda quinzena de janeiro. Santos esclarece que as condições termodinâmicas do oceano equatorial ainda não estão bem definidas e que o pacífico está em neutralidade. "Por enquanto, não sabemos se será o El Niño ou La Niña (que determinam a chuva no Ceará) que irá predominar", esclarece.

Paulo Henrique Lustosa, presidente do Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente (Conpam) parabeniza o Diário do Nordeste pela elaboração do caderno e comenta que as matérias são bem completas, abordando as várias dimensões da problemática da seca no Ceará. "Dá uma noção dos desafios de viver em uma região que sofre com a escassez da oferta hídrica", resume.

Mesmo reconhecendo que muito ainda precisa ser feito, o gestor salienta que, em comparação com a seca de 20 anos atrás, hoje o Ceará possui condições melhores de gerir o problema. "Os recursos de proteção ao agricultor minimizam o fenômeno devastador da seca e possibilitam que o desaquecimento da economia local seja menor", observa. O presidente do Conpam acrescenta que a situação só não é extremamente grave, porque o inverno de 2009 foi muito bom. "Foi tão bom que foi ruim". O gestor parabeniza toda a equipe e complementa que o caderno traz matérias bastante elucidativas sobre a situação.

Internet - O caderno especial ganhou repercussão também nas redes sociais. No Facebook do portal Diário do Nordeste, mais de 150 pessoas haviam compartilhado o caderno até o fechamento desta edição. Sensibilizados com a crítica situação do sertanejo, muitos declararam apoio, despojaram sua indignação e parabenizaram a iniciativa de realização do caderno. José Gabriel Maia destaca que, apesar do fato ser triste, "o caderno está muito bem feito, as fotos lindas e as matérias super humanas".

Comentários de internautas esperançosos de que dias melhores virão também predominaram. Mário Soares acredita que a fé do povo nordestino é maior que essa situação de estiagem. "Se Deus quiser vamos logo ter aquela boa chuva", afirma, esperançoso. Outros criticaram a falta de prioridade por parte do governo. Regina Cláudia Santos dispara que a atenção é para a Copa do Mundo e o Aquário.

LUANA LIMA - REPÓRTER Leia mais no Diário do Nordeste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário