Radio

domingo, 9 de fevereiro de 2020

Incentivo para indústrias no interior deve gerar 3,5 mil empregos

Nove municípios do Estado serão beneficiados com a construção de galpões pela Adece, oferecidos como diferencial para empresas se instalarem fora dos grandes centros. Objetivo é estimular o desenvolvimento local.
Foto: Antonio Rodrigues. Calçados: Indústria calçadista é uma das responsáveis pela construção de galpões no interior
Para alavancar a atividade econômica de nove municípios cearenses, o Governo do Estado, por meio da Agência de Desenvolvimento Econômico do Ceará (Adece), está construindo galpões que devem gerar emprego e renda para a população local. A expectativa é que, após a conclusão, sejam criados mais de 3,5 mil postos de trabalho no total.

Os galpões são construídos em municípios do interior e utilizados como uma forma de atrair indústrias, principalmente para localidades onde o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é baixo. O objetivo é que, a partir da geração de empregos, a economia dos municípios se desenvolva, trazendo também melhor qualidade de vida à população, além de reduzir a migração para os grandes centros. Em troca, as empresas utilizam a estrutura mediante o pagamento mensal de uma espécie de taxa de monitoramento.

O presidente da Adece, Eduardo Neves, acrescenta que as empresas, além do pagamento da taxa, têm de cumprir os termos do acordo para a instalação, como meta de geração de empregos. Os galpões que estão em fase de licitação ou em construção irão ficar em Irauçuba, Icó, Brejo Santo, Senador Pompeu, Boa Viagem, Pentecoste, Umirim, Itapipoca e Solonópole, e devem beneficiar empresas dos segmentos calçadista, de saúde e de autopeças.

Interiorização - Neves ressalta que a iniciativa é importante para que seja possível empresas escolherem municípios longe dos grandes centros para se instalar. "Se a gente não tiver esse diferencial, a gente não consegue atrair. Tem que compensar a distância do eixo logístico, o custo do frete para o transporte da matéria-prima e da produção. Senão, o empresário vai optar por ficar perto dos grandes centros", aponta.

Ele ressalta que as empresas que se beneficiam do incentivo são de pequeno e médio portes, e não têm necessidades específicas para a instalação, além de mão de obra. "Para as grandes, o incentivo fiscal já é o suficiente", diz.

Hoje, já existem 16 galpões da Adece cedidos em regime de comodato, em dez municípios (Aracati, Barbalha, Brejo Santo, Irauçuba, Massapê, Pentecoste, Quixeramobim, Senador Pompeu, Tauá e Umirim), gerando mais de 5,5 mil empregos. Os equipamentos atendem a empresas dos setores calçadista, têxtil, químico e de serviços.

"Em Senador Pompeu, a Adece está concluindo a terceira etapa de expansão. Hoje, a empresa instalada já emprega mais de 1,5 mil pessoas. Além desse galpão da Adece, a empresa construiu um segundo galpão no Município, onde também emprega a população", exemplifica Neves.

Ele ainda destaca a mudança que se vê com a instalação das empresas. "Onde tem qualquer uma dessas indústrias, a cidade muda completamente, porque a atividade econômica injeta recursos. Há casos em que a folha de pagamento da empresa é maior que os próprios recursos injetados na economia local".
Por negocios@svm.Com.Br NEGÓCIOS DN.

Nenhum comentário:

Postar um comentário