Radio

sábado, 2 de fevereiro de 2013

VIAGEM NO FERIADÃO Motorista deve redobrar atenção durante o Carnaval

Principais rodovias de acesso aos roteiros de Carnaval apresentam situações diversas, mas que exigem prudência
No tráfego intenso de veículos, carros e motos devem contar com pessoas habilitadas na condução dos mesmos. Polícia Rodoviária Federal aponta que 90% dos acidentes são causados por falha humana FOTO: JÉSSYCA RODRIGUES.

Fortaleza O feriadão do Carnaval está chegando e, para quem vai viajar pelas estadas no Estado, a atenção deve ser redobrada. Há trechos com buracos e obras ainda em andamento, como é o caso da BR-222, com destino a Sobral. Há via em que a pavimentação e a sinalização estão em boas condições, mas existe o risco de animais na pista, como acontece em alguns trechos da BR-116. Daí o cuidado é exigido por parte do motorista da mesma forma. Com a colaboração de todos os seus correspondentes no Interior, o Diário do Nordeste antecipa as condições das principais rodovias para os destinos mais movimentados durante o período de Carnaval.

É importante para o folião que pretende viajar no período de Carnaval, ter atenção redobrada nas principais BRs com saídas do Cariri para a Capital do Estado, ou cidades mais próximas, onde acontecem os festejos. Para quem sai pela BR-230, atravessa os 34 quilômetros entre as cidades de Farias Brito e Várzea Alegre, que ainda não foram totalmente recuperados. Apenas uma operação tapa-buracos e ainda um asfalto irregular. A orientação dos próprios motoristas que trafegam pela área é ter ainda mais atenção, principalmente se estiver chovendo. Cerca de 10km antes de chegar a Várzea Alegre, roteiro bastante visitado a partir do fim se semana, há buracos no asfalto.

Outra opção para quem se desloca da região do Cariri para Fortaleza é pela BR-116. A partir do fim de semana, a movimentação dos condutores na via aumenta consideravelmente. Muitas pessoas, além da Capital, buscam o destino da cidade de Cajazeiras, na Paraíba, para passar o período de Carnaval.

As principais vias rodoviárias de acesso ao Sertão Central, a CE-359 e a CE-060, apresentam boas condições de tráfego. A reportagem percorreu todo o trecho, da Capital às principais cidades da região, Quixadá, Quixeramobim, Banabuiú, Ibaretama, Senador Pompeu, Pedra Branca, Milhã e Solonópole. Seguindo de Fortaleza pela região do Maciço de Baturité, na CE-060, além de pistas sinuosas é necessário cruzar por dentro de seis cidades até chegar em Quixadá.

Os motoristas devem tomar precaução com animais na pista e com as lombadas eletrônicas. O trecho da CE-359, entre o Triângulo de Chorozinho e Quixadá, é mais seguro, mas nele estão instalados oito equipamentos de fiscalização de velocidade. Na área urbana de Quixeramobim, já na CE-060, também existem fotossensores. A atenção deve ser dobrada. O limite de velocidade é de 40km/h.

Existem problemas mais graves apenas na BR-226, entre Senador Pompeu e Solonópole. O trecho de 54km entre as duas cidades está esburacado. É melhor evitar as viagens noturnas. "Além de danos nos veículos, há possibilidade de assaltos", explicam motoristas acostumados a circular por aquela área.

O folião que for passar o Carnaval nas maiores cidades desta região - Crateús e Tauá - ou no pequeno município de Tamboril, que tem como tradição uma animada folia, tem que vir pela BR-020, rodovia que dá acesso à região. Saindo de Fortaleza, o viajante passará por trechos da via que estão sendo restaurados, entre a Capital e Boa Viagem. É preciso muita atenção no trecho, principalmente entre Boa Viagem e Cruzeta, onde a pista está bastante deteriorada e com muitos buracos.

Luiz Alves, secretário de Infra Estrutura de Tauá, diz que no trecho a situação da rodovia está péssima. "Os foliões devem tomar bastante cuidado". Já do Distrito de Cruzeta à sede de Tauá, a estrada está em bom estado de conservação, permitindo o tráfego tranquilo de veículos.

Na Zona Norte do Estado, a CE-253, de acesso à Serra da Ibiapaba pela cidade de Mucambo, ainda não teve iniciadas as obras de restauração. De acordo com a assessoria do Departamento Estadual de Rodovias (DER), foi feito um estudo sobre as peculiaridades do trecho de 18 km para definição de um plano especial de restauração. O trecho que corresponde à subida da serra tem se estreitado nos últimos anos, devido a deslizamento de terras. Em alguns pontos, apenas um carro pode trafegar por vez. Em outros, o desgaste já atingiu quase metade da pista. Ônibus e outros veículos de grande porte estão proibidos.

A BR-222 continua em reparos entre Sobral e Fortaleza. O pior trecho é do Km 108 ao Km 122, entre Umirim e Itapajé. Nele, o Dnit aponta trafegabilidade precária, muitos buracos e remendos. A sinalização também está deficiente, o que exige atenção redobrada do motorista, principalmente na curva do Km 110. Já entre Itapajé e o distrito de Patos, a sinalização ainda está incompleta e o trecho continua em obras de restauração, manutenção e conservação. Leia mais no Diário do Nordeste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário