http://picasion.com/
http://picasion.com/

Radio

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

CONJUNTO CEARÁ Cubanas reforçam atenção básica


Foto: EVILÁZIO BEZERRA Em 2013, Fortaleza recebeu 90 profissionais pelo Mais Médicos. Com as duas etapas iniciais do programa, o Ceará é o terceiro estado mais beneficiado, com 572 médicos
“Eu vinha aqui e não conseguia um médico para fazer a receita dos meus remédios. Não dava mais para receber de graça, então eu desisti e fiquei comprando”, relembra a dona de casa Dolores Brandão, 

50 anos. Com problemas gerados por hipertensão e diabetes, Dolores ficou sem atendimento por onze meses. 

A situação mudou quando voltou a procurar o posto de saúde Edmílson Pinheiro, no bairro Conjunto Ceará, no dia 4 de dezembro. Foi atendida pelas duas médicas cubanas Bárbara Landestoy e Brígida Hernandez, que estão em Fortaleza desde outubro, participando do programa Mais Médicos, do Governo Federal.

Na manhã de ontem, Dolores retornou para uma consulta com Bárbara. Para a dona de casa, a diferença está na compreensão da língua: as dificuldades de comunicação diminuíram. O que permaneceu foi o cuidado durante o atendimento. “Quando o médico nem olha na sua cara e só coloca um carimbo, você sai é desanimado. Aqui ela pergunta como estou, explica o que apareceu no exame. É outra coisa”, avalia.

Em 2013, a capital cearense recebeu 90 profissionais em duas etapas do Mais Médicos, além de outros 100 contratados por meio do Programa de Valorização dos Profissionais da Atenção Básica (Provab). Os dados são da Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

No posto Edmilson Pinheiro, a espera pela consulta causa impaciência do lado de fora. “As pessoas reclamam antes, mas depois entendem que precisam daquela conversa. Elas não estavam habituadas a um tratamento mais próximo”, comenta a coordenadora da unidade, Rosimeire Mendes.

Médica há 28 anos e tendo atuado em países da América Latina e da África, Bárbara conta que os comentários negativos sobre a chegada dos cubanos não desanimam: “Estamos aqui para cuidar das pessoas. Fomos bem acolhidas e estamos preocupadas com a saúde do povo.”
Como integram equipes do Programa Saúde da Família, as duas médicas da unidade saem em atendimentos pelo bairro uma vez por semana, acompanhadas de técnicos de enfermagem e agentes de saúde. “É importante ver o que se passa na comunidade, ir ao encontro das famílias”, afirma Brígida.
Para Rosimeire, o programa reforçou o atendimento na comunidade: no ano passado, apenas uma enfermeira realizava procedimentos básicos no posto. Hoje, a unidade conta com as duas profissionais cubanas e um brasileiro pelo Mais Médicos, além de duas contratações fora do programa. 

No Estado - O Ceará é o terceiro estado brasileiro mais beneficiado pelo programa Mais Médicos, com cobertura de atendimento em 155 municípios (ver quadro). O Estado recebeu 572 profissionais em 2013, sendo 104 médicos formados no Brasil e 468 no exterior. Em primeiro e segundo lugar aparecem Bahia e São Paulo, que receberam 787 e 588 médicos, respectivamente. Com o programa, o Ministério da Saúde estima que o atendimento médico no Ceará seja ampliado para quase 2 milhões de pessoas.

Mais Médicos no Ceará Municípios: Abaiara, Acaraú, Acopiara, Alcântaras, Altaneira, Alto Santo, Amontada, Antonina do Norte, Apuiarés, Aracati, Aracoiaba, Ararendá, Arneiroz, Assaré, Aurora, Banabuiú, Barbalha, Barreira, Barro, Barroquinha, Baturité, Beberibe, Bela Cruz, Boa Viagem, Brejo Santo, Camocim, Campos Sales, Canindé, Cariré, Cariús, Carnaubal, Cascavel, Catarina, Catunda, Caucaia, Chaval, Choró, Chorozinho, Coreaú, Crateús, Crato, Croatá, Cruz, Deputado Irapuan Pinheiro, Ererê, Forquilha, Fortim, Fortaleza, Frecheirinha, General Sampaio, Graça, Granja, Groaíras, Guaraciaba do Norte, Hidrolândia, Horizonte, Ibaretama, Ibiapina, Icapuí, Icó, Iguatu, Independência, Ipaporanga, Ipaumirim, Ipu, Ipueiras, Iracema, Irauçuba, Itaiçaba, Itapajé, Itapipoca, Itapiúna, Itarema, Itatira, Jaguaretama, Jaguaribara, Jaguaribe, Jaguaruana, Jardim, Jijoca de Jericoacoara, Juazeiro do Norte, Lavras da Mangabeira, Limoeiro do Norte, Madalena, Maracanaú, Maranguape, Marco, Martinópole, Massapê, Mauriti, Meruoca, Milhã, Miraíma, Mombaça, Monsenhor Tabosa, Morada Nova, Moraújo, Morrinhos, Mucambo, Mulungu, Nova Russas, Novo Oriente, Ocara, Orós, Pacajus, Pacatuba, Pacujá, Palhano, Palmácia, Parambu, Paramoti, Pedra Branca, Penaforte, Pentecoste, Pereiro, Pindoretama, Piquet Carneiro, Pires Ferreira, Poranga, Porteiras, Potengi, Potiretama, Quiterianópolis, Quixadá, Quixelô, Quixeramobim, Quixeré, Redenção, Reriutaba, Russas, Saboeiro, Salitre, Santa Quitéria, Santana do Acaraú, Santana do Cariri, São Benedito, São Gonçalo do Amarante, São Luís do Curu, Senador Pompeu, Senador Sá, Sobral, Solonópole, Tabuleiro do Norte, Tamboril, Tauá, Tejuçuoca, Tianguá, Trairi, Tururu, Ubajara, Umirim, Uruburetama, Uruoca, Várzea Alegre e Viçosa do Ceará.

Mais Médicos Em 2013, o programa Mais Médicos contratou 6.658 profissionais brasileiros e estrangeiros distribuídos entre mais de dois mil municípios brasileiros e em 28 distritos indígenas. O terceiro ciclo do programa está com fase de seleção aberta para profissionais, que passarão a atender em janeiro (formados no Brasil) e fevereiro (formados no exterior). 
Até março, a meta do Ministério da Saúde é chegar ao número de 13 mil médicos para atender 45,5 milhões de brasileiros.
Além de cidades do Interior, o programa beneficia 25 capitais (com 861 médicos) e regiões metropolitanas do País (com 1.292 médicos).
A prioridade é para localidades com maior situação de vulnerabilidade, como o semiárido, comunidades quilombolas e municípios com pobreza extrema.
Fonte: Ministério da Saúde.

Outras informações 
sobre o programa Mais Médicos, do Governo Federal  Link: http://migre.me/hg4XB
Thaís Brito Opovo cotidiano@opovo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário