http://picasion.com/
http://picasion.com/

Radio

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Municipio de Solonópole na expectativa de utilizar novo larvicida

Algumas Regionais de Saúde do estado do Ceará já estão utilizando o inseticida Diflubenzuron, para o controle do Aedes aegypti, em substituição ao Novaluron. No caso da 8ª Coordenadoria Regional de Saúde – 8ª CRES – Quixadá, o mesmo deverá ser utilizado até o final do mês de setembro do corrente ano, quando um novo lote do produto deverá chegar aos depósitos do Estado.

Em relação ao município de Solonópole, a expectativa é de que o novo larvicida comece a ser utilizado ainda no 5º ciclo. A seguir são descritas algumas informações sobre o produto:

O Diflubenzuron é um inseticida alternativo que age como regulador do crescimento e que pertence ao grupo das benzoil-feniluréias (inibidores de síntese de quitina).

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera o Diflubenzuron um produto seguro à saúde humana, tendo cumprido todos os protocolos do Programa Internacional de Segurança Química (IPCS) e foi aprovado pelo comitê de especialistas da OMS para uso em água potável.

Foi verificado que não houve nenhum problema com relação aos agentes de saúde quanto à operacionalidade e segurança. Entretanto, é necessário o treinamento dos agentes de saúde e a conscientização da comunidade, pelo fato do produto não eliminar a larva imediatamente, como os inseticidas convencionais, sendo a morte mais lenta, ocorrendo cerca de uma semana após a aplicação.

Depois de ingerir o inseticida, as larvas têm dificuldades na mudança periódica do exoesqueleto (“cutícula”), conhecida como ecdise. A conseqüência disso é que a “cutícula” mal formada pode não suportar a pressão interna durante a ecdise, ou não conseguir dar suficiente suporte aos músculos envolvidos, resultando na incapacidade de liberar os restos deixados pelo inseto (exúvia) e na morte das larvas.

O produto deverá ser previamente diluído em uma “Solução-Mãe”, colocando-se 10 gramas para cada litro de água.

Os depósitos deverão ser tratados pela sua capacidade, obedecendo à tabela em anexo.

Cálculo do Diflubenzuron

Litros a tratar

Volume da Solução-Mã

Diflubenzuron 25% (g)

3

1

0,01

5

1

0,01

10

1

0,01

20

2

0,02

30

3

0,03

40

4

0,04

50

5

0,05

100

10

0,1

200

20

0,2

250

25

0,25

500

50

0,5

600

60

0,6

700

70

0,7

800

80

0,8

1.000

100

1

2.000

200

2

2.500

250

2,5

5.000

500

5

Com informações do Dr. Erico de Medeiros da Coordenação de Endemias e Zoonoses do Município de Solonópole.

Um comentário:

  1. bom,queria falar que me recomendaram esse blog é bom demais,ja li esse post varias vezes e outros,é sempre bom ver recomndações,ouvir falar que tem um site bom ai de rastreamento um tal de http://rastreamento.org alguem ja ouviu falar?sabe me falar se é bom?

    ResponderExcluir