Radio

sábado, 23 de novembro de 2013

PRIMEIRA BODEJADA E PEGA DO BODE!

Presidente da Ematerce José Maria Pimenta conversou com os criadores de bode durante o evento - Foto Crisanto Teixeira 
O setor da caprinocultura voltado para a produção de leite vem sendo um dos que mais cresce na região do sertão central do Ceará, com maior destaque para o município de Banabuiú, com uma produção média de 10 mil litros de leite por mês. O governo do estado do Ceará, através das políticas públicas implementadas pelo programa ‘Fome Zero – Leite de Cabra’, em parceria com o (MDA) Ministério do Desenvolvimento Agrário e o (MDS) Ministério do Desenvolvimento Social, gerenciado pela (SDA) Secretária do Desenvolvimento Agrário e sua vinculada - Ematerce – Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará, constituem-se num importante ícone para o  desenvolvimento dos agricultores e pecuaristas familiares do Ceará.
Aprisco e Pista para a Pega do Bode - localidade de Lagoa da Serra em Banabuiú - Foto Crisanto Teixeira 
A atividade e seus atores principais, os criadores representados pela associação dos caprinocultores, com a parceria da Prefeitura do Município de Banabuiú e a Ematerce, promoveram nesta sexta-feira, dia 22 de novembro, na Agrovila de Lagoa da Serra, comunidade da zona rural, distante dez Km da sede, a ‘Primeira Bodejada e Pega do Bode do Sertão Central’. De acordo com o técnico da Ematerce Walter Pedrosa, que assiste os produtores de leite caprino, o evento reuniu cerca de 80 criadores dos municípios de Banabuiú, Quixadá, Quixeramobim, Solonopole, Jaguaruana, Itapiúna, Milhã e Piquet Carneiro.  Para o médico veterinário da Ematerce, Irapuan Teles de Araújo, assessor regional para ovinocaprinocultura, o foco principal foi promover a integração da categoria, abrir espaços para mostra e a comercialização de animais e ainda agregar valor a prática esportiva inserindo o bode no contexto.
Prefeito de Banabuiú, Zé Maria Pimenta presidente da Ematerce e o Secretário de Agricultura - Foto Crisanto Teixeira
Prestigiaram o evento o presidente da Ematerce – Engenheiro Agrônomo José Maria Pimenta Lima, o prefeito de Banabuiú Veridiano Sales, o secretário de agricultura e recursos hídricos Joaquim Rodrigues, além dos técnicos que atuam no segmento; estava entre eles, Mayane Aquino de Souza, técnica em zootecnia, que assiste os produtores da localidade de Lagoa da Serra, que atingem uma produção semanal de 600 litros de leite. Para o presidente da Ematerce, o setor da produção de leite de caprino está ganhando terreno por conta da garantia de compra pelo governo. “Estamos incentivando os criadores para investirem na atividade caprina leiteira, com a introdução de raças mais nobres, sendo mais fácil o seu manejo; estamos acabando com essa cultura de que criar bode é algo problemático, por ser um animal difícil de conter; com a introdução da raça leiteira o criatório ficou rentável, e com menos riscos de intriga entre os vizinhos”, enfatizou Pimenta.
Tito Machado Neto criador de Bode na Fazenda Cora Grande Banabuiú - Foto Crisanto Teixeira
Entre os criadores participantes, encontramos o senhor Tito Machado Neto, 61 anos, residente na fazenda Coroa Grande no município de Banabuiú. Otimista com o criatório, seu Tito disse que atualmente possui oitenta cabeças de caprino, entre grandes e pequenos, das raças Saanen, Parda Alpina e Tojiburgo, e que está satisfeito com o rendimento apresentado. “Ano passado foi mais difícil para a gente criar os bichinhos, mas esse ano já foi melhor, Deus mandou uma chuvinha e deu para nascer à forragem necessária para alimentar o rebanho; estou otimista, que em 2014 a gente tenha um bom inverno, pois assim terei a possibilidade de dobrar meu rebanho até o final do próximo ano; atualmente estou produzindo 600 litros de leite por mês, o que corresponde a uma renda de R$ 720,00”, Comemora os bons resultados Tito Neto.
Em primeiro plano o presidente da Ematerce conversa com agentes rurais da Ematerce - Foto Crisanto Teixeira
Durante a Bodejada, encontramos Alexandre Lopes Machado, filho do Tito, que desfilava todo satisfeito com sua cabra preferida, segundo o pecuarista, tratava-se da cabra ‘Ternurinha, que foi campeão num concurso em Fortaleza, alcançando a marca diária de 3.800 kg de leite. Ainda conforme o pecuarista Alexandre, o custo de produção de um litro de leite de cabra está em torno de R$ 0,80 (Oitenta centavos do Real), enquanto a comercialização, embora estando com preço defasado é de R$ 1,20 (Um Real e Vinte Centavos), o litro, com um retorno positivo de 34%.  

Crisanto Teixeira – Jornalista, Leia mais: crisantoteixeira.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário