Radio

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Projetos públicos Quixadá e Quixeramobim disputam investimentos

Movimentos de empresários e políticos fortalecem nas duas cidades os interesses pelos empreendimentos.

Quixadá Um pacto pelo desenvolvimento deste município. Com esse objetivo lideranças políticas se uniram à Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade e à secção regional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em resposta às ameaças das transferências de investimentos desta cidade do Sertão Central para o município vizinho, Quixeramobim. A iniciativa partiu do médico Ricardo Silveira, ao tomar conhecimento da articulação feita por políticos daquela cidade, na Assembleia Legislativa, pela conquista da unidade regional do Instituto do Câncer do Ceará (ICC).

Hospital Regional do Sertão Central é construido em Quixeramobim. Em Quixadá, uma policlínica ainda não foi inaugurada. Cursos de Medicina e unidade do Instituto do Câncer entram na lista da concorrência fotos: alex pimentel/crissanto teixeira

Na primeira reunião do pacto, o diretor do Instituto do Câncer do Ceará (ICC), Sérgio Juaçaba, assegurou a implantação da unidade regional em Quixadá. Para as lideranças do município, a afirmação do representante do ICC deve acabar com as especulações em torno da transferência do centro médico especializado para outro local.

"Além do compromisso do governo estadual, assumido há mais de ano, toda a estrutura física já está pronta", acrescentou o médico no encontro realizado na CDL de Quixadá.

De acordo com Ricardo Silveira, além do centro regional do ICC, Quixadá pleiteia há mais de ano o funcionamento do Hospital do Coração e a implantação do curso de Medicina. A estrutura física dos dois centros de assistência à saúde estão prontos. Vão funcionar no Hospital Maternidade Jesus Maria José (HMJMJ). Foram investidos R$ 2 milhões nas obras. "Agora são aguardados os equipamentos e a liberação para funcionamento", explicou o médico.

Sobre o curso de Medicina, segundo Ricardo Silveira, a Faculdade Católica Rainha do Sertão (FCRS) já investiu R$ 500 mil na aquisição de material didático. Ele mesmo foi convocado pela comissão do Ministério da Educação (MEC), para acompanhar a inspeção realizada na Faculdade, no ano passado.

Porém, apesar da ótima infraestrutura do campus, ainda há pendências como aporte na área da saúde para a aprovação. Resta apenas a iniciativa dos gestores públicos para início da formação de médicos local.

O governo estadual já está construindo o Hospital Regional do Sertão Central, em Quixeramobim. "Falta apenas a Policlínica começar a funcionar em Quixadá", acrescentou.

Silveira demonstrou preocupação com a construção de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em Quixadá. Há dois meses a empreiteira tenta iniciar a obra, orçada em R$ 300 mil. No entanto, os moradores, do Conjunto Renascer, não deixam. No local existe um campo de futebol.

Na sua opinião, há necessidade urgente do prefeito de Quixadá, João Hudson Bezerra, dialogar com a comunidade sobre a importância do investimento, principalmente para a saúde da população. O prefeito apoia o pacto e disse que quer agilizar o impasse.

Para os representantes classistas de Quixadá, somente com o pacto será possível solucionar esses problemas. Além do prefeito de Quixadá, secretários municipais, vereadores, deputados estaduais, federais e o prefeito de Choró, Antonio Mendes (Dé), firmaram apoio à mobilização.

"Foi a resposta ao movimento, feito no início do mês em Quixeramobim", explicou o empresário Everardo Filho, diretor do Sistema Monólitos de Comunicação. Isto porque, no dia 7, a Câmara Municipal de Quixeramobim promoveu uma audiência pública com o objetivo de sensibilizar as autoridades da importância da implantação do curso de Medicina neste município, sede da construção do Hospital Regional (HRSC).

Também discutiram a ampliação da oferta de cursos superiores no Sertão Central. Os deputados federais Mauro Benevides e José Guimarães, e ainda o secretário da Fazenda do Estado, Mauro Filho, se uniram aos vereadores, professores e estudantes, em apoio ao movimento.

Sobre o ICC e o curso de Medicina, o prefeito em exercício em Quixeramobim, Clébio Pavone, e o vereador Paulo Ferreira, proponente da audiência pública realizada no início do mês naquele município, informaram não se tratar de disputa entre as duas cidades. Pavone justificou ser uma mobilização legítima, em busca de benefícios públicos para a população.

Ferreira acrescentou afirmando terem sido enviados convites para as presidências das 13 Câmaras da região. Madalena, Pedra Branca, Piquet Carneiro e Solonópole participaram. Segundo o vereador, a audiência pública foi promovida com o objetivo de agilizar essas conquistas, não importado para qual município da região venham.

ALEX PIMENTEL Colaborador Diário do Nordeste.

Pleitos - "Precisamos unir forças para conquistar estes investimentos prioritários para a saúde do nosso povo de Quixadá", Ricardo Silveira - Médico e proponente do Pacto por Quixadá

"Estamos fazendo reivindicações legítimas para o benefício da população do nosso Sertão Central"Paulo Ferreira - Vereador de Quixeramobim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário