Radio

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Prefeito de Milhã denuncia desvio de R$ 2,5 milhões de verba federal

http://i.imgur.com/ZaQry.jpgFoto: Blog Solonopole - Otacílio Macedo diz que dinheiro liberado para construção de escola foi utilizado para outra finalidade.
Já no primeiro dia de trabalho à frente da Prefeitura de Milhã, surgiram as primeiras acusações de dilapidação do patrimônio público e rombos financeiros no Executivo Municipal. Ontem, o prefeito Otacílio Macedo (PP), empossado no último dia primeiro, informou que teve acesso às contas do município e que detectou, dentre outras irregularidades, desvio de recursos públicos. 

Cerca de R$ 2,5 milhões oriundos de convênio com o Governo Federal, que seriam destinados para a construção de uma escola municipal no distrito de Carnaubinha, foram desviados, segundo Macedo, pelo ex-prefeito da cidade, Cláudio Dias (PMDB).

“Dos R$ 3 milhões da obra, ele transferiu, da primeira vez, R$ 1,5 milhão para o Fundo Geral da Prefeitura e, da segunda, R$ 918 mil. Fez isso para efetuar pagamentos da Prefeitura”, denunciou o prefito. 

Irregularidades - Além disso, de acordo com Macedo, a folha de pagamento dos servidores municipais está atrasada desde o último mês de novembro. Até ontem, somente o 13º salário havia sido pago. “Alguns contratados também não foram pagos, desde outubro”, acrescentou. 

A pedido do prefeito, os novos secretários municipais de Milhã estão levantando dados de suas secretaria para verificar qual a situação das Pastas. Conforme Macedo, já foram detectadas faltas de pneus em veículos oficiais da Prefeitura, que devem ser informadas à Polícia na tarde de hoje. 

A falta de documentações também preocupa o novo chefe do Executivo Municipal. Na noite do último domingo, um incêndio atingiu o prédio da Prefeitura de Milhã. Há suspeitas em torno do sinistro, pelo fato de o fogo ter destruído documentos referentes a licitações, contratos e extratos de pagamentos de funcionários do município.

O POVO entrou em contato com o ex-prefeito de Milhã em seus dois números de celulares, mas os telefones estavam desligados. 

Por quê
ENTENDA A NOTÍCIA Apesar de o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e do Ministério Público Estadual realizarem ações para evitar casos de desmonte nas prefeituras Ceará, denúncias de dilapidação do patrimônio começam a vir à tona.
Por Ranne Almeida ranne@opovo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário