Radio

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Seca em Milhã: Abastecimento de áreas urbanas se agrava em mais cidades do interior

Deivyson Teixeira - Problema é resultado, segundo autoridades, do baixo nível de águas apresentado pelos açudes.

Mais duas cidades do interior do Estado estão passando por dificuldades no abastecimento d’água em suas sedes, segundo informações oficiais da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece). A listagem do órgão traz Pacoti, distante 95 km de Fortaleza, e Salitre, a 520,8 km da Capital, como também afetadas pelas consequências da estiagem prolongada, que vem prejudicando o Ceará desde o início do ano.

Os dois municípios se juntam agora a Milhã, Irauçuba, Itapajé, Pereiro e Quiterianópolis, cujas sedes também enfrentam o mesmo problema com o baixo nível de seus açudes, conforme publicou O POVO em edição do dia 29 de dezembro, na semana passada. Essas sete áreas urbanas tiveram de ser incluídas na Operação Carro-Pipa.

O prefeito eleito de Milhã, Otacílio Macêdo (PP), explica que o açude da região, o Jabotá, responsável por alimentar a cidade, secou há cerca de um mês. “Se o governo liberasse verba em caráter de emergência, já em 20 dias a adutora (que transporta água de Senador Pompeu a Milhã) estaria funcionando”, avalia. Os carros-pipa da Operação teriam abastecido o município, entretanto, somente até o dia 22 de dezembro.

Cenário análogo acontece em Quiterianópolis: a água que ainda resta no açude Colina não tem qualidade suficiente para consumo humano. Segundo o vereador e membro da Defesa Civil da cidade, Antônio Neto Lacerda, o abastecimento com carro-pipa, que transporta água de Novo Oriente, está interrompido desde segunda-feira. A expectativa, segundo ele, é que a Operação retorne até dia 10. De acordo com Lacerda, uma saída temporária poderia ser a perfuração de poços rasos. “A alternativa a médio prazo é uma adutora que o estado está disponibilizando recursos”, pontua.

O gerente do Núcleo de Resposta aos Desastres, o capitão Marcos Diógenes, responsável da Defesa Civil pela Operação, foi procurado para comentar as declarações, mas não houve resposta às ligações feitas a seu celular durante parte da noite de ontem.

O quê

ENTENDA A NOTÍCIA

Mesmo com mais estrutura que as zonas rurais, as sedes de sete municípios no Interior sofrem com a falta de abastecimento d’água por conta da estiagem prolongada que diminuiu o nível de açudes que alimentavam as cidades.

Cenário

De acordo com a Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh), o nível do açude em Quiterianópolis, o Colina, está apenas com 6,76% de sua capacidade original. Em Pereiro, a situação é ainda mais grave. O reservatório Madeiro permanece com apenas 4,06% de seu volume. Este é o reservatório com nível mais baixo no Ceará. Em Irauçuba, a quantidade de água desceu a 8,02% de sua cota total.

Atualmente no Ceará, há 59 açudes monitorados pela Cogerh com 30% de sua capacidade. Um deles é o de Itapajé, chamado Caxitoré, com 27,82% do total de água. A Região Metropolitana, inclusive, tem cinco açudes nessa situação.

Fonte: OpovoOnLine.

Nenhum comentário:

Postar um comentário