Radio

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Sertão Central Estado de calamidade atrai reunião do Comitê da Seca

A situação de caos no abastecimento em Milhã atraiu reunião de órgãos voltados ao combate à seca que assola o Ceará.
Milhã. Gestores públicos, lideranças políticas e trabalhadores rurais se reuniram em Milhã para discutir estratégias de convivência com a seca numa das regiões do sertão mais castigadas pela pior estiagem dos últimos 30 anos no Nordeste. O município, também conhecido como "Terra do leite", foi escolhido pelo Comitê Estadual de Combate à Seca, para a segunda reunião do ano, em razão do estado de calamidade enfrentado por sua população.

Diante da escassez hídrica e de alimentos, grupos de voluntários estão se mobilizando para distribuir alimentos e água para as populações mais isoladas. Ação nesse sentido aconteceu no fim de semana nos sertões de Canindé FOTO: ANTÔNIO CARLOS ALVES

A água está chegando às residências da área urbana através de carros-pipa. O colapso no abastecimento foi um dos destaques do Caderno Regional do Diário do Nordeste na última quinta-feira, 17. Segundo a assessoria do Comitê, a reportagem contribuiu na transferência do Encontro semanal para Milhã, no Sertão Central.

O Comitê era aguardado com tensão e expectativa. O prefeito de Milhã, Otacílio Macedo, demonstrava preocupação quanto ao abastecimento de água para a população de seu município. O Açude Jatobá, de onde era captada a água para distribuição através do Sistema Autônomo de Água e Esgoto (Saae) da cidade, está seco. Ele também havia reclamado do corte dos carros-pipa, mas foi desmentido pelo representante da empresa contratada para realizar o serviço.

Para continuar enchendo os tanques do Saae através de carretas com capacidade para 18 mil litros, o Município precisa instalar um motor bomba de alta potencia no açude, conforme havia explicado a autarquia.

Todavia, o representante da Defesa Civil do Estado, major Wagner Maia, tranquilizou a população, garantindo a ampliação da rota de carros-pipa na cidade até a próxima quarta-feira. A situação de Milhã foi reconhecida como de emergência extrema, em razão da dificuldade de abastecimento de água para os moradores.

Outra medida adotada para amenizar os efeitos da estiagem no Município foi a perfuração de poços artesianos. O trabalho foi realizado pela Superintendência de Obras Hidráulicas ( Sohidra). Segundo o diretor do Departamento de Águas Subterrâneas da Sohidra, geólogo Borges Neto, foram abertos cinco poços na área urbana de Milhã. Até a próxima semana, após a conclusão da limpeza, a água poderá ser distribuída à população. O diretor ressaltou, porém, a necessidade da Prefeitura se empenhar na instalação das bombas. A Sohidra poderá disponibilizar os equipamentos mas, para adquiri-los, será necessária a realização de licitação, demorando algum tempo na instalação.

Além do suporte imediato, através dos poços artesianos, a Secretaria dos Recursos Hídricos (SRH) também confirmou, na reunião realizada no ginásio poliesportivo da Escola Cleunice Pinheiro Rosa, a recuperação da adutora de Milhã. O serviço será realizado pelo Governo do Estado, com recursos próprios. O valor estimado é R$ 500 mil.

O próprio governador Cid Gomes também está articulando a liberação da captação de água do Açude Patu junto ao Ministério da Integração Nacional.

O reservatório, situado em Senador Pompeu, foi construído pelo Governo Federal e atualmente ainda é administrado pelo Dnocs.

Os prefeitos de Pedra Branca, Pedro Paraibano, e de Piquet Carneiro, Expedito Nascimento, também participaram do Encontro. Juntamente com trabalhadores rurais aguardavam boas notícias do Governo do Estado, através do presidente do Comitê e titular da Secretária do Desenvolvimento Agrário (SDA), Nelson Martins. Contudo, ele não pode comparecer. Foi representado por seu adjunto, Antonio Rodrigues de Amorim. Coube a ele levar as reivindicações dos gestores da região. A próxima reunião do Comité da Seca será no dia 28, em Fortaleza, no Corpo de Bombeiros, e a seguinte, no dia 4 de fevereiro, em Monsenhor Tabosa, integrante da região dos Inhamuns.

Solidariedade
A fome que assola o sertão do Ceará tem gerado vários problemas sociais. Um deles é a fome que atinge as famílias residentes no semiárido nordestino. Nos sertões de Canindé, ajuda auxiliar vem sendo obtida de grupos de voluntários.

No último final de semana um grupo de amigos de Fortaleza da Caravana SOS realizou distribuição de alimentos, água e roupas nas cidades de Canindé, Caridade e Salitre. Na ocasião, foram feitas entregas de cestas básicas de alimentos, água e até brinquedos. Ao todo, foram cerca de 30 pessoas que se dividiram em 15 carros com mais de 2 mil quilos de alimentos.

As equipes deixaram a Capital às 5h30 do sábado passado e tiveram como primeiro destino a cidade de Caridade. Para Aldery Silva Rodrigues, que esteve à frente dos trabalhos, esse foi um momento de ajuda aos irmãos que ainda sofrem as consequências da seca no Ceará.

"A nossa campanha contagiou os amigos e graças a solidariedade de cada um, conseguimos atingir os nossos objetivos´´, disse Eridan, que é policial Ronda do Quarteirão.

Mais informações:
Funceme
Avenida Rui Barbosa, 1246 - Aldeota, Fortaleza
Telefone: (085) 3101-1088
http://www.funceme.br/

Funceme registra chuva em 51 cidades
Fortaleza. Apesar do agravamento da falta d´água, o final de semana aconteceu em clima de otimismo de que a quadra chuvosa possa ser retomada em algumas regiões do Ceará.

Entre domingo e segunda choveu em 51 cidades. A precipitação mais forte aconteceu em Caririaçu, na região sul do Estado, com 82 milímetros, seguidas por Porteiras, 55 mm e Crato 33 mm.

Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme), as chuvas mais fortes aconteceram no Sul do Ceará. No entanto, também houve registros no Litoral e no Baixo Jaguaribe.

O meteorologista Leandro Valente explica que o fenômeno ainda é relação com a pré-estação. No entanto, chamou a atenção para o fato que neste final de semana houve tanto a influência de uma inclinação para o Sul ocasionada pela Zona de Convergência Tropical e também pelo Cavado de Altos Índices (gerado por pressão atmosférica).

"Não há nenhuma anormalidade nesse quadro, uma vez que esse fenômeno já é conhecido na pré-estação, comum nos meses de dezembro e janeiro", disse Leandro Valente. Ele informou que há possibilidade de chuvas nas próximas 72 horas de forma isolada, embora com maior concentração no Litoral e na região do Cariri.

Sem alteração
Também para esse período, é previsto um enfraquecimento da influência do sistema da Zona de Convergência Intertropical, devendo as precipitações ocorrerem com maior frequência pela ação do Cavado de Altos Índices, que implica em precipitações isoladas em várias regiões do Estado do Ceará.

Para o meteorologista, as chuvas ainda não sinalizam sobre o desempenho da próxima quadra chuvosa, haja vista que ainda não há sinais para se avaliar os efeitos da Zona de Convergência Tropical, considerado como o principal sistema a atuar na quadra chuvosa.

Sobre esse assunto, a Funceme marcou para a próxima sexta-feira a divulgação do prognóstico oficial. O resultado será apresentado durante o XV Workshop Internacional de Avaliação Climática para o Semiárido Nordestino, que tem início hoje.

Após a apresentação do prognóstico, está marcada no começo da tarde uma reunião do Comitê Integrado de Combate à seca, a segunda nesta semana.

O Comitê é coordenado pela Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) e possui representantes dos Ministérios do Desenvolvimento Agrário, Desenvolvimento Social e Combate à Fome e das Minas e Energia, além do Exército Brasileiro. Pelo governo cearense, participam as Secretarias de Recursos Hídricos, Cidades, Trabalho e Desenvolvimento Social, e Ciência e Tecnologia, por meio das vinculadas Funceme, Cagece, Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh), Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra), Ematerce e Defesa Civil Estadual, além da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Ceará (Fetraece) e Faec.

ALEX PIMENTEL/ ANTÔNIO CARLOS ALVESCOLABORADORES  Leia mais no Diário do Nordeste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário